Você não precisa de uma DSLR para fazer boas fotos!

Muita gente não acredita na frase acima, mas saiba que isso é possível. Quem faz a foto é o fotógrafo e não seu equipamento, por isso se aprender a tirar o máximo do que sua câmera (seja ela compacta ou superzoom) pode oferecer, tenho certeza que suas fotos darão um salto de qualidade.

E acredite: ela pode oferecer muita coisa! Ficar no modo automático é muito confortável, cômodo e não requer prática tampouco habilidade, qualquer criança brinca, qualquer adulto se diverte, porém sua câmera possui outros modos de disparo que podem potencializar suas fotografias se souber usar as dicas que vamos dar aqui.

Caso você tenha uma DSLR, mas ainda não se aventurou no modo manual pode começar usando os modos semiautomáticos e se familiarizar melhor com seu equipamento. Se você é completamente novo na fotografia, então este com certeza é o lugar por onde você deve começar. Os modos de disparo foram projetados para você começar a usar uma câmera DSLR sem qualquer conhecimento técnico ou aproveitar melhor sua superzoom ou compacta.

fotógrafos

Basicamente existem duas razões principais para se comprar uma câmera DSLR: usar lentes intercambiáveis (fato que pode ser explorado pelas mirrorless atualmente) e usar o modo manual. Entretanto isso não quer dizer que você não deva ou não possa explorar novas possibilidades do seu equipamento seja ele uma DSLR ou uma superzoom.

Ao aprender a definir a abertura, velocidade do obturador e ISO, ao passo que aprende o efeito que cada um desse ajustes afetam suas fotos, sua fotografia irá mudar drasticamente – são conteúdos básicos que devem ser dominados por quem está iniciando na fotografia. Melhor de tudo é você pode aproveitar grande parte desses recursos sem ter conhecimento técnico a respeito deles ou sem precisar de uma DSLR.

É isso que eu acho legal na fotografia digital: Poder usar o potencial da sua câmera, seja ela qual for, sem necessariamente ter conhecimento técnico ao mesmo tempo que podemos aprender mais sobre a fotografia e se apaixonar mais por ela.

Os Modos de Disparo 

Vamos apenas fazer uma breve recapitulação: basicamente você encontrará em sua câmera 3 grupos de modos de disparo: Manual, Automáticos e Semi Automáticos. Não preciso falar sobre o primeiro, quanto ao segundo tenho algumas considerações:

Nos modos automáticos a câmera irá escolher todos os parâmetros restringindo o papel do fotógrafo apenas à ação de apertar o botão de disparo. Se você escolher o modo paisagem, a câmara irá definir uma abertura pequena que aumenta a profundidade de campo. A câmera entende que você quer tudo em foco quando faz uma foto de paisagem. Se você escolher o modo de esportes, a câmara irá definir a velocidade rápida do obturador porque ela supõe que você quer congelar a ação, o movimento.

Modos de disparo Nikon

Isso pode até parecer útil, quase mágica, mas eu acho que esses modos totalmente automáticos fazem mais mal do que bem. Cada um desses modos é muito restritivo: não se pode ajustar o ISO em qualquer um deles, não é possível aplicar a compensação de exposição se a câmera estiver calculando uma exposição errada. Eu não posso mudar o estilo de imagem ou mesmo decidir se quero ou não usar o flash embutido. A câmera faz todas essas decisões por mim e eu não entendo uma palavra a dizer (se bem que seria estranho alguém me ver conversando com minha câmera).

Domine Sua Câmera – Abertura e Obturador

Ser escravo da câmera não é ser fotógrafo. Você precisa ter liberdade para escolher como quer fazer sua foto, porém por mais que você não tenha condições técnicas de dominar a câmera no modo selvagem – manual – isso não quer dizer que tenha ser condicionado para sempre aos modos automáticos, por isso a salvação veio por meio do terceiro grupo de modos de disparo, o trio parada dura: Prioridade de Abertura, de Velocidade e Programa.

No artigo Como Usar os Modos de Disparo eu conversei superficialmente sobre todos os modos do dial de disparo, contudo o propósito deste artigo é aprofundar nossos conhecimentos sobre os modos A, S e P de forma que você possa usá-los para criar fotografias incríveis.

Modo P – Program (Programa)

O modo P é um modo útil e poucas pessoas sabem disso. Pense no modo P como usar sua câmera no modo totalmente automático, exceto pela capacidade de substituir as decisões da câmara. Por exemplo, se sua câmera não definiu f/8 com velocidade 1/250 de segundo (em ISO 200) e você quer uma abertura maior, você pode usar mudança de exposição para alterar as configurações para f/4 a 1/1000 de segundo. A exposição é a mesma, mas o efeito é diferente.

O bacana desse modo é que ele está no meio do caminho entre o automático e o manual. Ele te dá liberdade de escolher se quer usar o flash ou não, alterar a velocidade, o ISO, compensação de exposição e balanço de branco. Sua câmera irá ajustar as outras definições para se certificar que sua imagem será exposta corretamente.

Em vez de adivinhar qual combinação de abertura e obturador irá funcionar no modo manual, você pode disparar no modo P, tomar algumas notas, e, em seguida, usar as mesmas configurações no modo manual. Você vai ter a mesma imagem!

Quando em modo P, a câmara nem sempre irá “adivinhar” a combinação certa, afinal ela não é o TARS, mas algumas configurações que lhe dão um pouco mais de controle do que o modo automático.

A dica é: coloque a câmera no modo P e escolha um objeto para fotografar. Em seguida, olhe para a foto no seu LCD e determine se o objeto está muito claro ou muito escuro. Vá realizando as alterações necessárias nos parâmetros da câmera até que o objeto fique devidamente bem exposto (exposição equilibrada)

Abertura

Se o ambiente estiver com pouca luz (shows, baladas e festas noturnas), o modo P poderá te ajudar ao possibilitar elevar o ISO. Seja sutil porque se aumentar demais, suas imagens vão começar a granular e criar ruído. Eu não gosto muito de ISO alto, mas dependendo do caso é o “que tem para hoje”.

Aprender o modo P é caminhar para o modo manual, por isso se dedique nele para dominar sua câmera pelo modo manual. Os resultados são garantidos!

Modo A (ou Av) – Aperture (Abertura do Diafragma)

Ok… seu sonho é fazer “fundo desfocado” nas fotos, mas não sabe nem como começar. Bom, sem entrar em detalhes técnicos, saiba que o modo A poderá te ajudar. Antes de dar a dica fatal para “desfocar o fundo”, eu preciso esclarecer que “fundo desfocado” é o termo popular para profundidade de campo e que raios é isso?

Profundidade de campo (também conhecida pela sigla DOF) é a área de nitidez percebida entre objetos próximos e distantes. DOF raso significa que há uma pequena área de nitidez (ou seja, o assunto está em foco e o fundo é relativamente desfocado). Algumas câmeras oferecem agora um efeito de desfocagem de fundo para simular isso. DOF profundo implica que os objetos próximos e distantes estão ambos em foco.

Quando usar o modo A?

  • Paisagens
  • Se há uma distração no fundo
  • Se você quiser enfatizar o assunto à custa do fundo.
  • Se você quiser ter certeza de que vários elementos da cena são nítidos.
  • Em situações com iluminação controlada e quando você está fotografando objetos estáticos com a câmera montada em um tripé

Observe que você deve, obviamente, se preocupar com abertura quando se trata de fotografar com pouca luz ou luz em excesso, porque a ampliação da abertura permite a entrada de mais ou menos luz dependendo do que quiser.

Considere também que para fotografar em Prioridade de abertura é necessário levar em conta o limite fixo de abertura da sua lente (seja ela uma lente para DSLR ou a lente da sua superzoom ou compacta) ou seja, se mesmo usando o modo A você fica constantemente frustrado com o “pouco desfoque de fundo”, pode ser que precise de uma lente melhor ou uma câmera com uma lente melhor. Não há milagres aqui.

Profundidade de campo

Mais Configurações Importantes para Considerar

  • Distância focal da lente

Essa informação muitas vezes é desprezada pelas pessoas, mas ela influi diretamente no “desfoque de fundo”. O tamanho do “zoo” da sua câmera vai trabalhar a favor ou contra o “desfoque de fundo”, por isso faça testes e defina o melhor valor para sua fotografia.

  • A velocidade do obturador

Embora você geralmente não possa escolher a velocidade do obturador quando estiver no modo A algumas câmeras oferecem uma opção de menu para definir a velocidade do obturador. Cuidado ao alterar esse valor porque ele também pode destruir o DOF da sua imagem.

  • Sensibilidade ISO

Aumentando a sensibilidade ISO, além de criar ruído nas imagens, você será capaz de alterar a abertura e com isso o DOF da imagem. Às vezes pode ser interessante sacrificar um pouco a qualidade da imagem em prol de um “efeito” melhor do objeto fotografado.

Eu também uso de prioridade de abertura para fazer retratos. Na verdade, esse é um artifício que funciona muito bem nessa modalidade ainda mais se usar uma lente prime (que têm uma abertura máxima maior do que lentes zooms). A grande vantagem desse método é poder olhar para os resultados na tela LCD da câmera e ajustar a abertura de acordo a profundidade de campo registrada. É como se fosse um atalho, por isso fica a dica.

Modo S (ou Tv) – Shutter (Velocidade do Obturador)

No modo de prioridade do obturador, você seleciona a velocidade do obturador e a câmara fixa a abertura de acordo com o ISO. Alternativamente é possível controlar a abertura indiretamente, alterando a ISO.

Eu particularmente uso prioridade do obturador quando eu estou segurando a câmera nas mãos. Ele me permite definir uma velocidade do obturador rápida o suficiente para evitar a vibração da câmera e fotos borradas. Ainda consigo criar profundidade de campo, simplesmente aumentando o ISO.

A grande sacada aqui é usar o modo S para congelar movimentos. Quando você está tentando congelar uma ação, você precisa definir a velocidade do obturador mais alta do que o assunto que você está fotografando, por isso não tem modo melhor que o modo S. Prioridade do obturador também pode ser útil quando você quiser arrastar o movimento, ou seja, registrar o rastro de alguém ou de algo. Basta colocar a câmera em um tripé e baixar a velocidade para valores menores que 1/20 segundos.

Prioridade de Obturador

Outro exemplo, mas que exige mais treino, é quando uso a prioridade do obturador e deliberadamente movo a câmera durante uma exposição para criar uma sensação de movimento e borrão. O nome dessa técnica é panning e requer muito treino para ser dominado com precisão, por isso treine essas dicas e pratique muito – seja criativo em suas fotografias.

Concluindo…

Espero que este texto te faça sair da bolha do modo automático para explorar novos horizontes. Eu sei que o modo manual é difícil, por isso quero incentivá-lo a usar os demais modos de disparo. Os modos automáticos são legais de serem usados dentro das limitações deles, mas se quiser uma dose a mais desafio então parta para os semiautomáticos.

Se gostou deste texto e quer receber mais informações sobre fotografia em seu e-mail, basta cadastrá-lo logo abaixo. Garanto que é indolor.

Treine os modos A e S em um primeiro momento para depois ir para o modo P. Quando se sentir confiante comece a alternar entre o P e o M… quando menos esperar você estará fazendo fotos no modo manual sem dificuldade alguma.

Então para relembrar e fixar:

  • O modo prioridade de abertura (A) pode ser usado para criar profundidade de campo e controlar a exposição da foto fazendo que ela fique mais clara ou escura.
  • O modo de prioridade de velocidade (S) pode ser usado para congelar movimentos ou registrar o rastro de algum movimento.
  • O modo de programa (P) pode ser usado como meio termo entre os modos automáticos e o modo manual. Você terá um pouco mais de controle sobre as funções da câmera
  • João Pinheiro Filho

    Ótimo artigo Verena, como todos que você tem escrito. Já fui possuidor de uma LSR analógica ( Minolta XD7 com lentes primer 50 e 300mm.). Hoje sou fanático pelas superzoom (mesmo com todas as limitações). Já postei este meu comentário em outros locais do seu blog, mas como não obtive resposta, estou ´postando aqui. (cópia do original).

    Olá Verena, boa noite. Continuando o papo sobre as superzoom
    e a 70/300, você não respondeu ao meu último questionamento: Temo perder as vantagens
    das superzoom. A única justificativa para mim seria uma qualidade de imagem
    infinitamente melhor.(mas muito melhor mesmo) Será que vale a pena? Quero perguntar o seguinte: ambas operando na mesma distancia focal e ambas no modo automático, a 70/300 teria
    uma qualidade de imagem muito superior a superzoom?

    Outra pergunta:
    ainda sobre as superzoom. (lentes).

    As lentes Canon
    (das superzoom) são muito superiores às lentes da Fuji?

    Vamos fabricar a
    superzoom imbatível?

    RECEITA.

    1º – Ter a
    ergonomia das Fuji.

    2º – Ter o zoom
    manual das Fuji.

    3º – Ter lentes
    Leica (50x).

    4º – Ter em letras enormes as marcas Canon ou Nikon ( para agradar a maioria que compra marca ).

    Será que alguém
    se habilita a entrar nesta empreitada? Se não encontrar sócio no Brasil vou
    procurar na Cochinchina ou no Afeganistão.

    Brincadeiras a
    parte, se puder responder os questionamentos, agradeço.

    Saudações.

    • João, creio que tenha me mandado um e-maill com essa dúvida. Em breve responderei via e-mail

  • Bárbara Hernandes

    Excelente, como sempre! Nunca uso esses outros programas (S, A, etc), acabo ficando no Manual mas nem sempre as fotos saem como eu quero! rs Mas eu não desisto não!

    ps.: eu bati a minha lente 18-55mm na parede (parabéns pra mim!) e ela tá travando quando giro ela pra fazer zoom e às vezes foca, às vezes não. Levei na loja e o cara disse que é melhor comprar uma nova do que arrumar! Fuén! Se eu tava querendo trocar de câmera (e você me ajudou muito em relação à isso, a que eu tenho é uma Nikon D50 véia e pesada), agora é que quero mesmo!

    • Bárbara, Bárbara…. sempre barbarizando por aí! Bom tê-la novamente no Verena.

      Como expliquei no artigo o modos A, S e P são ótimos meio termos entre o A (automático) no qual o fotógrafo desliga o cérebro e apenas clica e o modo M (manual) no qual a câmera se transforma em um bicho quase indomável. Espero que o texto tenha ajudado a usar esses modos que podem ser muito úteis em alguns casos.

      Você bateu a lente? Puxa vida! Deve ter doído seu coração… o meu doeria… que infelicidade. Também acho que sairá mais caro arrumar do que comprar outra ainda mais se tratando de uma lente 18-55mm que deve custar cerca de 400 dilmas. Se fosse uma lente de 2 mil dilmas tudo bem… rs.

      Agora então é a hora de trocar de câmera, Bárbara! Reúna todos os requisitos que deseja em uma câmera, selecione alguns modelos e traga aqui para o Verena para conversarmos sobre as câmeras que escolheu

  • Everton Sentinello

    Boa noite!

    Ganhei uma Nikon D3200 e desde então tenho lido artigos e assistido à vídeos para aprender e poder tirar o maior proveito possível do equipamento!

    Dentre tudo que encontrei na internet, sua página é a mais clara e didática que naveguei!

    Parabéns pela forma como consegue se fazer entender e ajudar os amadores como eu!

    Obrigado!

    • Olá, Everton.

      Obrigado pelos elogios.

      A ideia do Verena é exatamente esse: ajudar quem está começando na fotografia. Que bom que esse objetivo foi atingido. Continue navegando por aqui que sempre haverá alguma postagem nova

  • Anderson

    Procurando aprender sobre fotografia encontrei o seu site. Parabéns pelo ótimo trabalho que você faz aqui. Estou aprendendo bastante.

    Eu gosto de registrar paisagens dos lugares onde viajo, cenas… gosto muito da foto como arte. Você já disse aqui no site que o conhecimento é mais importante que a câmera. Em casa tenho uma Cybershot boazinha, mas só encontrei nela a opção de ajuste do ISO. Devo estudar com ela, ou seria melhor pegar uma Superzoom ou uma DSLR?

    Um abraço!

    • Como vai, Anderson.

      Obrigado pelos elogios.

      Alguns princípios básicos você consegue estudar com uma compacta, mas ela é bem limitada no quesito ajustes. Se for fazer um curso de fotografia, vai precisar de uma DSLR, porém se quiser apenas curtir a fotografia sem fazer o curso, mas ter mais liberdade então terá que partir para uma superzoon no mínimo

  • Claudia Simões da Costa

    Olá Johnny meu nome é Claudia : estava aqui a procura de modelo de contrato acabei nesta pagina e parei p ler um pouco para ter esperiências. Pois gostei muito, então porque n perguntar
    Ando fazendo umas fotos para alguns eventos e preciso de uma lente a minha maquina e a NIKON D5100 entao preciso de uma lente com um zumm melhor .Oque vc sugere?

    • Oi, Cláudia.

      Que bom que gostou do site e das informações contidas nele.

      Uma lente zoom para a D5100 a fim de fazer fotografia de eventos? Uma ótima opção na Nikon é a 24-70mm…. muito fotógrafos de casamento usam essa lente como principal.

      Apenas deixo a ressalva que ter uma boa câmera e/ou uma boa lente não fará suas fotos boas automaticamente… é necessário conhecimento e o Verena vai oferecer a solução para isso… veja aqui: http://www.verenafotografia.com/novidade/reserva.html

  • Laryssa Campos

    ola, queria saber onde e o obturador da powershot sx520hs, queria pedir que se puder fazer um resumo sobre ela como mecher entender melhor seria otimoooo, estou com muitas duvidas, obrigada! amei os textos +_=

    • Oi, Laryssa.

      Se tem dúvidas em como funciona sua câmera, o ideal é que leia o manual do produto porque é inviável eu criar um resumo da câmera por aqui.

  • jaira oliveira

    eu tenho uma sx510hs e boa só que não estou acertando para tirar fots a noite . demora muito pra sair da tela preta .como posso fazer para melhorar

    • Olá, Jaira.

      No caso de fotos noturnas não tem muito o que fazer… tem que esperar a câmera processar as condições de luz e registrar a foto.

      Infelizmente a Sx510 não tem bom desempenho com pouca luminosidade

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.