Continuando nossa conversa anterior sobre flash, hoje falaremos de um recurso que pode nos ajudar a fotometrar corretamente e, por consequência, ajustar sua câmera para uma boa foto: o fotômetro de mão.

São dois elementos interessantes que podemos usar para fotometrar nossas fotografia: o primeiro recurso da nossa pauta de reuniões de hoje é o fotômetro de mão, um equipamento que muita gente (e pior – muitos “fotógrafos”) acha que está ultrapassado e é uma peça do século passado. O segundo recurso é a análise correta do histograma, o qual é uma ferramenta incrível, entre outros usos, no processo de tentativa e erro – vamos explorar esse recurso no próximo artigo.

O Fotômetro de Mão

Falamos sobre o sistema de medição TTL que é o sistema usado pelas DSLR’s para fazer a medição dos reflexos de luz do objeto fotografado, porém quando se trata do fotômetro de mão o que temos é justamente o inverso. Eu explico.

Emissão e reflexão. O sistema da câmera mede a reflexão da luz no objeto enquanto o fotômetro de mão, exatamente por ser um equipamento à parte da câmera, mede a luz emitida na cena gerando resultados mais precisos.

fotômetro de mão

Anteriormente citamos que o sistema TTL pode cometer alguns erros fazendo que a cena fique mais escura ou mais clara que o real e isso ocorre por causa da luz refletida. Com o fotômetro de mão temos uma independência de luz porque ele irá medir somente a luz emitida e não dependerá do objeto e sua reflexão gerando assim resultados mais precisos.

Lembram-se do desafio do artigo anterior? Os noivos? Pois bem… o TTL pode gerar valores diferentes dependendo de onde fotometrar: se for na noiva, a câmera vai querer escurecer a imagem por causa do branco, se for no noivo (terno escuro) a câmera vai querer clarear a cena. Entretanto, como pode a mesma luz gerar resultados diferentes? É nesse ponto que o fotômetro de mão ajudaria, pois ele irá medir a luz emitida para os dois nubentes, independente da cor da roupa.





 

 

.
Quer dizer então que esse equipamento que muitos acham ultrapassado, velho e que não sabem usar pode conferir um ganho incrível de eficiência? Sim. Vou dizer-lhes como: fotógrafo que é fotógrafo sempre chega antes nos eventos que vai fotografar, e acho que deveria incluir o “Não Chegar Atrasado” em um dos nossos artigos recentes, sendo assim ele pode medir a luz do local e configurar sua câmera de forma que poderá, durante a sessão de fotos, se concentrar apenas na composição e outras coisas além da fotometria e deixar essa parte no “automático”. Ah… isso só vale se a luz desse ensaio for constante, pois se mudar (intensidade, natureza e cor) será necessário nova fotometria.

http://fotodicasbrasil.com.br/

http://fotodicasbrasil.com.br/

Como nada é perfeito e o TTL tem seus defeitos, o fotômetro de mão tem uma grande desvantagem: ele sempre precisa ser colocado no local de incidência da luz. Isso quer dizer que você precisa ir até os noivos, fotometrar, voltar para a câmera, configurar e assim fazer a fotografia. Dá para fazer? Até é possível, mas e se você for um fotógrafo de esportes? Vai entrar na pista de fórmula 1? Vai invadir o campo de futebol? É complicado…

Enquanto o TTL tem a comodidade como fator positivo – afinal ele está dentro da câmera – , o fotômetro de mão tem a não praticidade, a limitação física como ponto negativo. Você tem que ir até o local de incidência de luz.

Conclusão 

Nenhum dos dois sistemas é perfeito nem um é melhor que o outro. Dependendo da situação um pode ser mais adequado que outro, por isso cabe ao fotógrafo (aquele fotógrafo de verdade) saber quando usar um ou outro e saber explorar seus pontos positivos.

Se souber usar o sistema TTL, ele pode ser muito preciso, mas você precisa saber compensar seus defeitos. Se tiver um assistente, pode ser que o fotômetro de mão possa vencer suas limitações de deslocamento e assim criar uma foto com fotometria bem precisa.

No fim, meus caros leitores, a responsabilidade de uma boa foto mais um vez recai sobre o fotógrafo, sobre o elemento humano. Não adianta ter uma câmera de R$ 5 mil, não adianta ter um flash SB900, não adiantar ter um fotômetro de mão de R$ 1.000,00 se não souber usar e correlacionar os conceitos e técnicas fotográficas. Sua foto será ruim, sr. 01 e se vender uma foto ruim para um cliente você poderá pagar caro ou pedir para sair e nunca mais voltar.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.