O iPhone 8 Plus está entre nós e é sobre ele que vamos falar um pouco hoje.

E não importa o que você diga: as pessoas compram smartphones para fazer fotografia. Isso é um fato e é melhor você aceitar que dói menos.

Muitos fotógrafos torcem o nariz para a fotografia mobile, mas ela é uma realidade e suspeito que assim será por um bom tempo.

O mundo tem um relacionamento abusivo com as câmeras de smartphone (não no sentido sexual… eu acho) porque você já reparou como sempre levamos nossos smartphones para todos os lugares e ficamos fazendo fotos de tudo quanto é jeito?

Já percebeu como culpamos o smartphone quando as fotos não ficam boas? Que mundo louco em que vivemos! Existe até guia de como fazer boas fotos com um iPhone.

Como fotógrafo, eu sei que uma boa luz é essencial para uma boa fotografia e mesmo que o hardware do iPhone 8 Plus não seja muito diferente do seu antecessor fica claro que a Apple fez um trabalho incrível no módulo de câmera do seu smartphone ao ponto de me surpreender.

Acompanhe comigo minhas impressões da câmera do iPhone 8 Plus.

Apenas um esclarecimento:

Vou analisar apenas e somente a câmera do smartphone… não estamos fazendo um review do dispositivo como um todo nem falando sobre a Apple ser safadinha.

Segundo detalhe: estamos avaliando a câmera do iPhone 8 Plus, ou seja, não falaremos do iPhone 8, nem do X nem de mais nada. É… estou chato hoje… 🙂

Câmera – evolução e não revolução

A grande verdade é que a Apple não reinventou a roda nem a fotografia mobile com uma câmera surpreendente. A palavra mais correta para descrever o que a Apple fez na câmera do iPhone 8 Plus é evolução.

A câmera do iPhone 7 já era uma das melhores do mercado, contudo ainda foi capaz de evoluir na nova versão do celular da maçã.

Ela é fácil de usar e usufrui de recursos do novo iOS, do quais o que mais me impressionou foi o poder edição das fotografias após serem capturadas.

Eu gostei bastante do Loop, Bounce, Long Exposure, Live Photos e apesar da edição das fotos estar restrita a aplicação de filtros os ajustes de cor e brilho são interessantes.

iPhone 8 Plus

O iPhone tende a criar imagens mais claras por causa de uma leve superexposição que o aparelho faz automaticamente (na minha opinião isso nada mais é que um truque para embelezar as imagens).

O autofoco é muito eficiente. Até demais! Não tem como diminuir a velocidade e isso pode te atrapalhar caso queira criar um efeito usando velocidades mais baixas, mas não podemos reclamar da nitidez que é quase perfeita.

No quesito vídeo a câmera do iPhone 8 Plus faz filmagens em 4K a 60fps criando arquivos enormes que certamente vão consumir seu armazenamento interno rapidamente.

Existe a função de slow motion em FullHD (a 240 fps) que é boa, mas não tão boa quanto a que vi no Sony Xperia XZ Premium.

O grande trunfo da câmera do iPhone 8 Plus é funcionar bem em situações de pouca luz e nos detalhes de renderização.

O Flash

Quem me conhece sabe que eu particularmente não gosto de usar flash nem de fotografias feitas com o uso dele, exceto algumas imagens bem executadas.

Entretanto, esta foi justamente uma das maiores surpresas que tive com a câmera do iPhone 8 Plus. A Apple realmente fez um bom trabalho com o flash do seu smartphone.iPhone 8 PlusO hardware do flash ainda é terrível: é como se fosse uma lanterna LED mandando luz no objeto fotografado, contudo o iPhone 8 Plus agora faz um trabalho muito melhor balanceando a iluminação do flash com a luz ambiente.

Em vez de um primeiro plano superexposto e todo branco com um fundo preto, agora você consegue fazer uma foto surpreendentemente equilibrada. Essa capacidade se chama sincronização lenta e ela usa uma velocidade de obturador mais longa para permitir que a luz ambiente fique no sensor e combine com a luz artificial do flash.

Essa “técnica” faz uma grande diferença nas fotos e evita que o flash destrua sua imagem. Uma grande evolução, na minha opinião.

Especificações

A Apple disse que o sensor da câmera principal do iPhone 8 é maior (e você sabe que um sensor maior quer dizer melhores fotos em pouca luz geralmente), mas a empresa não compartilhou as medidas específicas dele.

Há, no entanto, um método para determinar o tamanho relativo do sensor comparando a distância focal da lente e o campo de visão da câmera (yeahhh!).

Ambas as câmeras traseiras do iPhone 8 Plus possuem resolução de 12 megapixels. A câmera principal é uma grande angular (aproximadamente e equivalente a 28mm) com uma abertura f/1.8, enquanto a câmera retrato possui é uma teleobjetiva (aproximadamente e equivalente a 56mm) com uma abertura f/2.8.

O processador A11 Bionic é o fator mais importante quando se trata do desempenho geral desde a captura da imagem do iPhone 8 Plus até a edição final.

Desempenho

Você deve conhecer o site DXO (que é uma empresa também). Ele faz testes usando métodos cuidadosos, consistentes e gráficos atribuindo uma nota numérica para o sensor.

Vale a pena se basear nesses dados? Certamente. Porém, nossos olhos não são tão matemáticos assim, por isso nada melhor que um teste prático.

Uma grande mudança funcional é a forma como o HDR funciona na câmera agora: ele é padrão. Você já deve ter tentado fazer uma foto ao meio-dia em uma situação de muita luz e sombras ao mesmo tempo.

É um pesadelo, mas o iPhone 8 Plus se saiu muito bem mesmo que o efeito HDR seja um pouco exagerado em outras situações criando imagens um pouco surreais.

Quando se trata de precisão de cores, aí as coisas ficam um pouco complicadas. O iPhone 8 Plus usa o visor True Tone, que altera o equilíbrio de cores da tela de acordo com a luz ambiente do local.

O True Tone entra em conflito com aplicativos de fotos avançados que permitem o controle manual do equilíbrio de cores da foto. Usar seus olhos para calibrar uma foto para a cor correta é complicado quando a tela muda de cor.

Se você deseja controlar suas imagens, não vai gostar do True Tone.

Flare é bonitinho, mas quando ele é desejável ou ferramenta criativa. Os iPhones anteriores tinham um sério problema com flare invadindo a lente e aquela nuvem roxa esquisita. Ambos os problemas foram melhorados no iPhone 8 Plus.

Modo Retrato

O iPhone 7 Plus introduziu o modo retrato que tornou as fotos de pessoas mais atraentes. Ele alavancou uma lente teleobjetiva para reduzir a distorção da grande angular da câmera principal e adicionou um efeito bokeh falso que, às vezes, enganava as pessoas fazendo-as achar que se tratava de uma super lente.

O iPhone 8 Plus te engana ainda melhor.

Para a maioria das pessoas, o modo retrato funcionou. O bokeh falso é verdadeiro até você olhar detidamente as bordas da imagem e o iPhone 8 Plus não conserta essa falha, em vez disso, ele adiciona um novo modo de iluminação orientado por AI.

A câmera do iPhone 8 Plus ainda não possui estabilização de imagem óptica, mas com a abertura de f/2.8 é fácil fazer fotos com profundidade de campo (fundo desfocado) no Modo Retrato – desde que você esteja fotografando com bastante luz no ambiente.

Em condições de pouca luz aparecem algumas manchas na imagem e bastante granulação. Há quem converta a imagem para preto e branco para parecer algum tipo de filtro, mas voltamos a enganar as pessoas.

Vale a pena notar que o processamento de um disparo no Modo Retrato leva aproximadamente dois segundos, o que é muito mais longo do que um clique normal.

Presumo que é preciso muito poder de processamento para criar todos esses efeitos.

O efeito de iluminação de retrato existe em parte graças à mudança para o formato HEIF (que substituiu JPEG) que pode incluir várias imagens em um único arquivo de forma que a câmera pode salvar o arquivo original e ativar o Modo de Iluminação de Retrato ou o bokeh falso do Modo de Retrato mais tarde.

Claro que isso é algo que os fotógrafos que usam o Raw fazem há muito tempo, mas agora essa vantagem chegou aos fotógrafos mobile.

Conclusão: O iPhone 8 Plus está chegando lá

Como eu disse no começo dessa análise: aceite que dói menos.

A fotografia mobile está aí e chegou para ficar. O flagship da Apple evoluiu sua câmera para algo ainda melhor do que já tínhamos visto na geração anterior.

A câmera é perfeita? Certamente não.

Alguns problemas não foram consertados, mas outros pontos foram melhorados excepcionalmente.

O iPhone 8 Plus não fará boas fotos em todas as situações, contudo consegue ter um bom desempenho na maioria delas.

O Pixel 2 busca destronar o reinado de melhor câmera do iPhone 8 Plus, contudo no fim é tudo uma questão de gosto pessoal ou idealismo.

Comprar ou não um smartphone apenas e somente pela câmera que ele tem é ser superficial demais, afinal outros quesitos precisam ser avaliados, todavia não há como negar que a fotografia é parte importante e quase vital dos smartphones atuais.

Vale a pena comprar o iPhone 8 Plus fotograficamente falando? Vale sim, mesmo possuindo o iPhone 7 ainda vale a pena migrar pelas melhorias implementadas.

Ainda estamos falando de uma câmera de smartphone e não de uma DSLR, por isso é óbvio que ele não vai atender todos os públicos dada suas restrições, mas mesmo assim é admirável como esse segmento tem evoluído a cada ano.

O iPhone 8 Plus irá te ajudar a fazer seu Instagram ficar mais legal de ser visto

Fotos por Stan Horaczek e Mann

  • Bia

    E vc sabe quais sao os criterios da escolha?

    • J. R. Caldas

      Composição é sempre a principal, os outros critérios não devem fugir muito disso. É por isso que temos sempre mais de uma lista de “As melhores de 2011”. Obrigado pela visita

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.