O que é Velocidade do Obturador?

Bom… vamos começar com uma aula de biologia (e não reclame, fotografia às vezes tem dessas): o olho humano é formado por diversas partes e existem 3 que nos interessam mais – a retina, a pupila e as pálpebras. Usando um paralelo com a câmera fotográfica, podemos dizer que a retina é como se fosse o sensor da câmera, a pupila é análoga ao diafragma (assunto que tratamos em outro artigo muito interessante) e as pálpebras seriam como nosso obturador, assunto deste artigo.

Diferentes tipos de exposições

O obturador pode ser comparado também como uma cortina de uma janela: se abrir por muito tempo, você terá luz na sua sala por mais tempo; se abrir rapidamente, então haverá luz por um curto período de tempo. Com a câmera é a mesma coisa, ou seja, com o obturador aberto por muito tempo haverá mais luz chegando ao sensor e com isso mais clara (branca) a foto irá ficar; se abrir rapidamente então entrará luz em uma fração de segundos e com isso teremos uma foto escura.

E o que isso tem a ver com congelar o movimento? Eu quero congelar o movimento, Johnny. Calma, filho…

Velocidade é Tudo

A velocidade com que se dá a abertura e fechamento do obturador é chamada de “shutter speed”, ou seja, a velocidade de disparo e ela está diretamente ligada a ideia de movimento. Essa velocidade é medida em frações de segundo (e você achou que nunca mais veria frações na sua vida…).

O segundo é dividido por números e temos expressões como 1/200 ou números inteiros como 5″ – esse sinal () indica os segundos, ou seja, quanto maior esse número mais demorado será para o obturador fechar, por exemplo: com 5” o obturador vai ficar aberto por 5 segundos deixando a luz marcar o sensor, muita luz, a foto começará a ficar branca. A outra expressão, 1/200, indica que 1 segundo foi dividido por 200. Um segundo já é rápido (uma piscada) imagine divido por 200! Vai ser super rápido e menos luz vai conseguir entrar nesse curto espaço de tempo, a foto ficará escura.

Para ficar fácil a visualização veja os exemplos abaixo:

Chamamos de velocidade alta valores como 1/8000, 1/4000, 1/3200, 1/2500 – note que o segundo (unidade de tempo) é dividido por número altos, ou seja, quanto maior o divisor maior será a velocidade

Chamamos de velocidade média ou normal os valores de 1/100 a 1/20 – uma curiosidade interessante é que 1/20 é o limite para quem está fazendo fotos sem tripé

Chamamos de velocidade baixa valores abaixo de 1/20 até o Bulb (o obturador permanece aberto enquanto você segurar o botão)

DICA

Uma regra mais ou menos verdadeira é que existe certa relação entre a velocidade do obturador e a distância focal da sua lente. Ou seja, se a distância focal da sua lente é de 85mm, a velocidade mínima deverá ser de 1/85s, para evitar uma imagem tremida. Isso vale para qualquer distância focal que estiver usando.

Como isso funciona na prática?

Pegue sua DSLR- em modo manual, claro – e olhe pelo viewfinder (o buraquinho em que você coloca o olho). Lá dentro, possivelmente na parte de baixo, você verá uma “escala” – o fotômetro – que “percebe” as condições de luz do ambiente e indica se os ajustes que você fez deixarão a foto muito clara, escura ou se estão corretos.

Quando o ponteiro estiver mais para o lado negativo (à esquerda), quer dizer que existe pouca luz e a foto pode ficar escura. Já o contrário (à direita), o ponteiro marcando um valor positivo muito alto, indica que existe muita luz, e a foto pode “estourar“- ficar muito branca. Para uma foto com exposição equilibrada o ideal é ajustar a velocidade de tal forma que o ponteiro fique no meio, na região central!

Não se esqueça que o ISO e o diafragma influenciam nessa escala. Faça um teste: coloque o ponteiro no meio e altere o ISO ou o diafragma. Você notará que o ponteiro do obturador se moverá do centro. Treine algumas situações!

Congelando Movimentos

Em primeiro lugar você precisa de luz, muita luz, seja ela artificial (flash) ou natural (sozinho). O ISO deve estar em 100 e a abertura em f/11 – mas claro que isso não é uma receita de bolo né? Não quer dizer que colocando esses parâmetros você conseguirá congelar movimentos.

house, caneca, splash

Feita a exposição correta você agora precisará ir aumentando a velocidade do obturador para pelo menos 1/4000. Faça os ajustes necessário no ISO e no diafragma para que a câmera continue mantendo a exposição equilibrada. Agora basta fazer o clique.

Qual Câmera Você Tem?

Dependendo do tipo de câmera que você tiver, o modo como proceder para congelar movimentos poderá variar. O processo citado acima é válido para câmeras que possuam ajustes manuais como as DSLR’s, Superzoons e Mirrorless. Aliás, você qual é a diferença entre as três? Tem outro ótimo artigo sobre esse tema, mas voltando ao assunto: e seu você tiver uma compacta comum? É possível congelar movimentos?

A resposta é sim. É possível embora você tenha um pouco mais de dificuldade para conseguir um ótimo resultado. O ideal seria se sua compacta tivesse estabilizador de imagens óptico, mas esse recurso nem sempre está presente na maioria das câmeras digitais. Bom… se a sua tiver, ative-o. Coloque sua câmera em um modo de disparo específico para fotos em movimento e vá para um local muito bem iluminado. Agora tente fazer os cliques e confira o resultado.

Se você estiver à noite aí não tem milagre… ative o flash e use um tripé.

O Contrário Também é Verdadeiro

Talvez você não queira congelar o movimento, mas queira um movimento mais fluído. Segundo o que aprendemos na parte teórica do artigo, se aumentarmos a velocidade do obturador tendemos a congelar o movimento, ou seja, se diminuirmos a velocidade dele teremos um movimento mais arrastado.

Com baixa velocidade (maior tempo de exposição) você consegue efeitos bacanas como rastro de luz, porém usar um tripé é obrigatório. Lembram quando disse que o limite de velocidade para usar a câmera apenas com as mãos é de 1/20? Por isso, se for baixar mais que isso, você precisará apoiar a câmera em algo estável – um tripé de preferência, não acho que você iria gostar de ver sua câmera em pedaços por tê-la apoiado em uma superfície suspeita.

Baixa velocidade

Se para congelar movimento você precisa de muita luz, como um parque em dia ensolarado; para usar baixa velocidade o cenário mais interessante é a noite. Luzes de carros, faróis ou qualquer coisa que emita luz ganha um efeito muito legal.

Conclusão

Lembre-se que a velocidade de obturação não pode ser usada de forma isolada dos outros dois elementos do triângulo de exposição (abertura e ISO). Esse aspectos da fotografia sempre andam juntos, por isso não tem outra maneira de aprender isso testando as diversas opções.

Gostou deste artigo? Que tal se inscrever no Verena? Assim você receberá uma notificação em seu e-mail toda vez que postarmos algo novo.

Fotografia é exatamente isso: treino, estudo, dedicação. Se precisar aprender ou relembrar sobre o ISO posso indicar o artigo ISO: O que é e como ele pode mudar sua Fotografia. Boa leitura!

  • Fernando Miranda

    Muito bom!

    • Não é? Rs

      • Fernando Miranda

        Jonny, uma câmera c velocidade 1/1600 consegue fazer esse procedimento? A superzoom q quero comprar tem essa velocidade.

        • Cara… pode até ser que consiga, mas não posso garantir… até porque fotografia não é receita de bolo: “coloque velocidade x, abertura y e ISO z que você terá a foto desse jeito” – isso não existe.

          O que eu tenho de experiência é que para congelar movimento perfeitamente é necessário pelo menos uma velocidade de 1/4000, mas como disse depende muito.

          Particularmente eu acho essa velocidade muito baixa para congelar movimentos. Qual câmera pretende comprar?

          • Fernando Miranda

            Johnny,

            eu ia comprar a SX50HS mas ela estava cara e saiu uma promoção da sx510 por metade do preço da SX50HS. Como a 510 é bem menor achei melhor comprá-la. O jeio será treinar nela para futuramente comprar uma DSLR. Obrigado.

          • Como eu disse a Sx50Hs é cara até mesmo fora do Brasil, mas não tem como compará-la com a Sx510. Uma faz 91 pontos contra 60 pontos da outra… uma diferença muito grande.

            Porém se é algo que você precisa agora (uma câmera mais compacta e valor mais baixo) então ela é a melhor câmera para você. Futuramente você pode livremente investir em uma DSLR sem problemas.

  • Lili

    valeu pelas dicas♥

    • Oi, Lili.

      Continue lendo mais

  • Sonaly

    Muito bom 👏👏

  • Fabiano Alexandre

    Parabéns pelo artigo, todos que eu li por aqui são realmente esclarecedores!

    • Que bom, Fabiano. Essa é a ideia 🙂

  • Karynne Mota

    Li, reli e, por enquanto, estou treinando no simulador….kkkk
    Há um simulador da Nikon?

    http://www.canoncollege.com.br/simulador?utm_source=facebook&utm_medium=cpc&utm_campaign=Facebook_pagepost_simulador

  • Geison, já pensou em usar filtro? Tem um artigo ou dois sobre eles. Certeza que vão te ajudar

    Essa seria minha solução para esse problema

  • Olá, José.

    Não entendi direito sua dúvida. Será que pode reformular novamente?

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.