Sinceramente não sei por onde começar…

Será que inicio falando que a feira foi horrível? Tantos adjetivos poderiam ocupar o lugar do “horrível”. Talvez devesse colocar primeiro que simplesmente não havia muita coisa para ver? Será que posso dizer foi uma das piores feiras de fotografia que participei logo no começo do artigo? Pega mal? Photo Image Brasil 2015 – um fiasco!

Se você não foi ao Photo Image Brasil 2015, você não perdeu nada. Acredite. De certa forma até achei estranho a pouca divulgação em torno do evento e outras estranhezas que vou falar no decorrer deste artigo, mas sou inocente.

Há 2 anos participei da Photo Image Brasil 2013 e posso dizer que, em comparação com a edição de 2015, foi ótima. Expositores de calibre, muita gente e muito o que ver. Só para ter ideia, a feira tem 3 dias de duração e eu precisei dos 3 para ver tudo em detalhes em 2013. Na 23° edição eu consegui ver tudo em 2 horas – e isso porque eu ainda fiquei rodando pelo pavilhão.

Uma Exposição Fraca

A Photo Image Brasil 2015 se vende como “maior feira de fotografia e imagem da América Latina envolvendo tecnologia, inovação e negócios e trazendo os principais lançamentos e tendências do mercado” e “comprova em todas as suas edições, sua relevância no mercado ao reunir os principais fabricantes nacionais e internacionais”.

Estante da Fuji marcando presença com sua câmera Instax

Estante da Fuji marcando presença com sua câmera Instax

Eu discordo. Ser a maior ou a mais relevante, não significa ter qualidade. Foram 11 setores de puro tédio. A feira este ano foi menor que a edição de 2013: não havia a parte dos “chinas” nem corredores apertados. Leia o artigo sobre a feira em 2013 que você vai entender.

De peso, sendo bem direto, estavam apenas a FujiFilm, GoPro e Sony expondo produtos, se bem que a Fuji nem conta muito porque ela só levou sua Instax (!). Câmeras como a X100S ou X-Pro1 nem deram as caras, as excelentes lentes da série XF? Esqueça.

Nikon? Canon? Cadê vocês? Esperando sentir nas mãos o poder de uma D800? Querendo testar uma 5D Mark III? Pode chupar o dedo. Como uma exposição que se diz ser a “maior feira de fotografia e imagem da América Latina envolvendo tecnologia, inovação e negócios e trazendo os principais lançamentos e tendências do mercado”, mas não consegue levar as duas maiores fabricantes de câmeras do mundo? A própria Sony tinha um estande pequeno e tímido de esquina em um dos corredores laterais expondo suas ótimas mirrorless da série alfa.

Photo Image Brasil 2015 (1)

Série Alfa da Sony. Estante tímido, mas estiloso

Uma Exposição sem Inovação

Lembro-me da edição de 2013 que podíamos subir em uma plataforma e testar teleobjetivas, recordo-me de ilhas com puffs para assistirmos palestras gratuitas e de muita interação entre os expositores e os visitantes.

Como disse acima, só era possível testar as mirrorless da Sony e a Instax da Fuji. No quesito palestras o que vi foi apenas autopromoção dos estantes em que elas ocorriam. Quando não havia autopromoção, havia “dicas” batidas e de senso comum não trazendo nada de novo nem agregando informação aos fotógrafos presentes.

Auto promoção?

Auto promoção?

Os estantes da (finada) Kodak e Mitsubishi Eletric só estavam cheios por causa da galera da foto grátis. Eles ofereciam a impressão de 5 fotos gratuitamente, caso baixassem o aplicativo e testassem a conectividade dos equipamentos deles. O detalhe é que a comunicação entre os smartphones e o totem não era perfeita e ouvi muita gente reclamando que não conseguia enviar as fotos para impressão. De graça até injeção na testa.

Galera da foto grátis

Galera da foto grátis

Por falar em coisas de graça, foram pouquíssimos os estantes que estavam oferecendo prêmios por meio de sorteios. Eu sei que isso é ser muito interesseiro, mas quem não é mercenário? Houve o tradicional sorteio de 3 GoPro HERO4, sendo uma câmera por dia sorteada às 18 horas. No evento de 2013 o pessoal da GoPro, loucos como são, fizeram a maior bagunça na hora dos sorteios, muita agitação, gente gritando, música alta, jogaram camisetas para a galera que mais gritava e sortearam 2 GoPro a mais do que estava combinado. Foi bem legal.

Photo Image Brasil 2015 (6)

Não foi dessa vez que ganhei uma GoPro

Este ano? Até que juntaram bastante gente (e quem não iria tentar ganhar uma GoPro) no momento do sorteio e foi apenas isso. Pediram para a galera gritar “GoPro” três vezes como idiotas, falaram o nome de uma pessoa que o notebook escolheu aleatoriamente e entregaram a câmera. Algumas fotos e 2 minutos depois já não havia ninguém no estante. Camisetas? Só no segundo dia do evento porque perceberam que não houve tanta participação como gostariam no primeiro dia e que a galera só quer saber de coisas grátis.

Uma Exposição de Bulevares

Amplos corredores, grandes áreas para café e lanches. Havia espaço de sobra para descansar em cadeiras e mesas espalhadas por todo o evento. No evento de 2013 os corredores era estreitos e era uma verdadeira luta encontrar um espaço para sentar, descansar ou comer. Aí me coloquei para pensar: todo esse espaço e conforto não servia a nenhum propósito a não ser disfarçar o simples fato de que não havia expositores!

Grandes espaços "vazios" - falta de expositores?

Grandes espaços “vazios” – falta de expositores?

A Nikon e Canon ocupavam um grande espaço assim como os demais expositores no evento de 2013, mas neste ano, por falta de estantes maiores ou mais expositores, a administração foi obrigada a criar “espaços de conforto” para preencher os 19.077 m² do pavilhão.

Não tive acesso ao número de visitantes dos dois eventos, mas minha impressão é que na edição deste ano havia menos pessoas (bem menos) que o evento de 2013. Talvez por causa dos bulevares as pessoas tenham ficado mais espaçadas, mas ainda assim a impressão era de que poucos visitantes se dignaram a participar do evento deste ano.

Corredores largos, poucas pessoas

Corredores largos, poucas pessoas

Conversando com algumas pessoas que participaram do evento em 2014 soube que houve um declínio na qualidade da feira e isso pode explicar o motivo de tantas baixas neste evento.

Uma Exposição em que Nem Tudo Foi Perdido

Depois de tudo que falei pode ser que você pense 20 vezes antes de decidir ir ao evento no ano que vem, se é que haverá dado o fiasco deste ano. Porém nem tudo foi perdido. Consegui comprar uma hand strap que tanto precisava e por um bom preço. A loja BananaFoto estava presente com seus penduricalhos e acessórios interessantes e criativos além da figura bem-humorada do dono da loja.

Banana Foto com seus acessórios muito interessantes

Banana Foto com seus acessórios muito interessantes

Personalidades da web como Americo Sperandio, do canal Letra na Foto, marcou presença no primeiro dia do evento – como visitante – e foi assediado por quem conhece o canal e seu trabalho. Uma pessoa muito simpática e amável, além de grande fotógrafo. Vale a pena ver os vídeos do canal Letra na Foto.

Na minha opinião os destaques ficaram por conta das empresas que prestam serviço de encadernação de foto álbuns. É sempre bom poder conferir os diferentes tipos de acabamentos e conhecer o produto ao vivo. A Indimagem colocou todo seu portfolio em exposição em um grande estante central e aberto; foi ótimo ver os novos acabamentos em madeira, camurça e tecido que a empresa colocou no mercado em Abril. O funcionário que me atendeu foi extremamente atencioso e esclareceu todas as minhas dúvidas. Ainda nesse ramo a Premiere, em um estante mais modesto, mostrou sua encadernação de alta qualidade e pude constatar que de fato são materiais de alto padrão.

Grande estante da Indimagem. Equipe atenciosa!

Grande estante da Indimagem. Equipe atenciosa!

Haviam outras encadernadoras de menor porte e expositores de impressoras e equipamentos para impressão de imagens que não me ative muito, mas pareciam ser muito competentes e terem bons produtos.

Photo Image Brasil Pode e Deve Melhorar

Infelizmente o saldo deste ano foi mais negativo que positivo. Fui à feira tendo com o precedente do evento de 2013, achando que este ano a exposição seria maior e melhor, mas a decepção é sempre proporcional à expectativa.

Nada de Nikon ou Canon

Nada de Nikon ou Canon

Senti falta dos grandes players da indústria, senti falta de mais interação do público com a feira e senti falta de relevância para o setor fotográfico. Tudo só não foi perdido porque havia personalidades interessantes e as empresas de encadernação, que de fato representam uma área muito importante para qualquer fotógrafo, marcaram presença; ter contato com elas é essencial (ainda mais com cupons de descontos que estavam dando – risos).

Perdi minha inocência (não entenda mal essa frase – risos). Em 2016 vou pensar muito antes de decidir ir à feira. Não sei se você, que foi à feira, teve a mesma impressão que eu, mas pelo sentimento geral notei que esse sentimento de “ficou faltando algo” era compartilhado por muitas outras pessoas.

A solução é não ter expectativas.

  • anderson

    Falou tudo amigo , faço das suas palavras as minhas.

    • Olá, Anderson. Esteve na feira também? Sua impressão foi igual a minha?

  • Robson

    Olá Jônatas, muito obrigado por suas palavras sobre a Bananafoto. Em nome de toda a equipe te agradeço, não imagina como isso é importante para nós! No mais, valeu pelo “Bem humorado” ganhei o dia! 🙂 Abraço e sucesso!

    • Eu imagino sim como é importante porque o Verena depende muito do feedback dos nossos leitores, por isso fiz questão de citar o Banana. Já comprei com vocês e a loja é 10, o processo de compra também e a equipe durante o evento foi muito prestativa mesmo com a muvuca de pessoas abarrotando o balcão de vocês.

      Você é uma figura, cara! 🙂

      Sucesso para a loja!

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.