O filtro é um acessório que poucas pessoas conhecem e que somente alguns magos de magia oculta da imagem (conhecidos também como fotógrafos) sabem usar corretamente. Infelizmente o uso dos filtros está se tornando cada vez mais raro e isso se deve aos poderosos softwares de edição como o PhotoShop e LightRoom e ao pouco conhecimento que a nova geração de “fotógrafos” tem demonstrado.

Eles geralmente são feitos de vidro ou de um tipo de gelatina (não comestível diga-se de passagem) transparente ou translúcida fica na frente da lente protegendo-a, alterando as características da luz que a lente capta ou adicionando efeitos especiais e cores em uma imagem. Pelo que sei o ramo que mais usa filtros é a fotografia de paisagem, mas eles podem ser aplicados em qualquer ramo da fotografia.

Das poucas pessoas que conhecem os filtros, geralmente o filtro ND, o UV e o polarizador são os mais famosos, porém o mundo é muito grande e existem muitos outros. Vamos começar explicando os tipos de fixação dos filtros: rosca e slot-in (encaixe)

FIXAÇÃO

Filtro de Rosca

Filtros de fixação com rosca

Esse tipo de filtro se encaixa diretamente na lente por meio de um filete de rosca. Cada lente tem diâmetros diferentes e consequentemente precisa de filtros de tamanhos (diâmetros) diferentes, ou seja, você pode ter um filtro UV de 58mm e outro de 42mm dependendo da lente. Filtros de rosca fáceis de trocar, tirar e colocar. Girou, saiu.

Filtros de fixação slot-in ou cokin (encaixe)

Esse filtro usa um suporte que é colocado na frente da lente por meio de um anel adaptador. O filtro é colocado então nesse suporte que, geralmente, possui ajustes que permitem o uso em várias lentes e diâmetros. Alguns modelos permitem também o uso de 3 ou 4 filtros simultâneos no mesmo suporte. A grande vantagem do filtro slot-in é que você pode trocar de filtros rapidamente e usá-lo em todas as lentes que tiver somente fazendo um ajuste no diâmetro dele.

Filtro Slot-InExplicado os dois tipos de filtro que temos para nossas DSLR e outras câmeras digitais vamos falar dos filtros em si e seus efeitos. Vale ressaltar aqui que os filtros modulam (mudam) a dinâmica da luz que entra na lente e geralmente requerem que você altere a sua exposição para compensar esse efeito. O nome disso é Fator de Filtro, ou seja, cada filtro tem um fator específico que exigirá mudanças nas configurações de sua câmera antes de fazer sua fotografia.

TIPOS

#1. Filtro UV – Ultravioleta

Antigamente ou tradicionalmente, como os fotógrafos mais antigos preferem dizer, os filtros ultravioletas eram usados para reduzir a incidência de raios UV que poderiam causar efeitos indesejados nas fotografias. Os filtros UV são filtros transparentes que bloqueiam a luz ultravioleta (óbvio não?) sem modulá-la – alterar – e que hoje se tornaram uma forma de proteção da lente sem alterar a exposição da fotografia.

Existe toda uma discussão de usar ou não usar os filtros UV. Os defensores do uso do filtro UV dizem que ele protege a lente fisicamente de poeira e etc e protege contra os raios UV; os defensores do não uso do filtro UV afirmam que mesmo um filtro UV de alta qualidade jamais terá a mesma qualidade óptica de uma lente.

Lentes são caras e são caras por um motivo: os elementos internos (cristais) são de alta qualidade. Se colocar um filtro UV na frente dela estamos diminuindo a qualidade das fotos, aumentando risco de reflexos chatos e outras interferências.

Toda vez que saio de casa tomo um banho de raios UV e sou saudável. Acho que minha câmera ficará bem sem um filtro UV também.

#2. Filtro Polarizador 

Este filtro é mais famoso e é usado para escurecer o céu excessivamente claro à medida que aumenta o contraste entre nuvens e o céu. Como o filtro UV, o filtro polarizador reduz a “neblina atmosférica”, mas também reduz a luz solar refletida. A função mais típica de um filtro polarizador é remover os reflexos da água, vidro e superfícies altamente reflexivas.

Filtro Polarizador

Se encontrar o ângulo correto, o filtro polarizador elimina os reflexos ao fotografar através de uma janela de vidro ou na água por exemplo; esse é um belo e útil truque que estou dando a vocês! Basicamente existem dois tipos de filtros polarizadores: os lineares e os circulares.

Ambos os tipos de polarizadores produzem um efeito semelhante, exceto pelo fato do filtro polarizador circular possui duas camadas que atuam de forma diferente, a primeira polariza a cena, eliminando os reflexos e a segunda volta a despolarizar a cena sem reflexos porque os raios incidem de maneira circular e não linear, após passarem através pelo filtro.

Ele elimina possíveis erros de exposição ou auto focagem, que podem ser causados pela leve polarização de raios em câmeras do sistema TTL utilizando espelhos fixos. Absorve raios ultravioleta e azul-violeta proporcionando contrastes fortes, especialmente em fotos de paisagens. Show né?

Está gostando desse artigo? Então clique na imagem abaixo para receber mais conteúdo como esse!

 #3. Filtro Balanço de Cor

Este filtro já é pouco conhecido pela maioria das pessoas. Como você deve saber, a luz que vemos é a soma de uma composição de várias outras cores. Na fotografia, você precisa escolher e saber qual a temperatura da luz para configuração corretamente o balanço de branco da sua câmera.

Você pode usar um filtro de balanço de cor para compensar as várias diferenças na cor da luz fotografada como por exemplo: a luz do dia é mais fria (azul) enquanto a luz de uma lâmpada incandescente é mais quente (laranja avermelhado).

Filtro Balanço de Cor

O filtro 85B e o 80A são os dois filtros padrão para compensar o balanceamento dessas cores. O 85B permite fotografar na luz do dia, quando o balanço de branco está selecionado para tungstênio (laranja avermelhado). Sem o filtro 85B e com o balanço em tungstênio sua imagem teria uma cor azulada.

Com o filtro 80A é a mesma coisa apenas invertendo as situações. Estes filtros têm caído em desuso hoje em dia porque este tipo de correção de temperatura de cor pode ser facilmente feito através do photoshop ou lightroom, embora alguns fotógrafos prefiram usá-los.

#4. Filtro ND – Densidade Neutra

Um filtro muito famoso que serve para reduzir a quantidade de luz que entra na lente. Imagine que você está em uma situação em que não é possível baixar mais a exposição nem mesmo baixando o ISO ou usando a abertura mais fechada. O que fazer? Usa o filtro ND oras.

Filtro ND

Com eles reduzindo a luminosidade do ambiente você pode usar valores interessantes de exposição, ISO e abertura para usar longa exposição tranquilamente, ou seja, é possível criar efeito de fluidez da queda d’água de uma cachoeira em pleno sol do meio dia.

Uma coisa que poucas pessoas sabem é que existe filtro ND graduado. Ele nada mais é que um círculo com metade mais escura que a outra metade. Dessa forma você pode usar a parte mais escura virada para cima e conseguir uma foto rica em detalhes do céu mantendo o chão claro e com seus detalhes também – os quais se perderiam se usasse um ND completo porque iria escurecer o chão também.

#5. Filtro Soft Focus – Foco Suave

Filtro Soft Focus

Os filtros de foco suave fazem exatamente isso: eles reduzem a nitidez de uma imagem, mas apenas a um ponto em que é quase imperceptível. Eles são úteis e geralmente usando em retratos de rostos de pessoas. Com a ajuda de uma luz difusa, as condições de peles imperfeitas são substituídas por uma pele suave e sedosa.

Você fará um tratamento de pele sem usar um comando do PhotoShop! O pessoal viciado em edição mal sabe que é possível fazer o que eles fazem sem colocar o dedo em um teclado. É claro que você pode usar filtros de foco suave ao fotografar paisagens ou monumentos também.

#6. Filtro P&B

Filtro P&B

Existem filtros específicos para fotografia preto e branco que bloqueiam certos comprimentos de onda da luz, aumentando assim o “look” monocromático. Há filtros P&B vermelhos, laranjas, amarelos, verdes e filtros azuis. Por exemplo, o filtro vermelho bloqueia a cor vermelha e aumenta a luz azul podendo criar um céu profundo e mais sinistro.

O filtro verde vai escurecer o céu e irá destacar a folhagem verde fazendo-a se sobressair contra o céu (esse filtro é perfeito para fotografar árvores). Os filtros para P&B são muito legais de experimentar, são muitas possibilidades para você testar e criar imagens incríveis.

COMO USAR UM FILTRO ND 

Espero que tenha ficado claro que os filtros podem ser como coringas na mão do fotógrafo, especialmente os filtros de densidade neutra que são considerados armas secretas do fotógrafo de paisagem. Há quem não consiga trabalhar sem um filtro de densidade neutra, por isso vamos entender como eles podem melhorar sua fotografia de paisagem.

“Eles são úteis mesmo? ” Você poderia me perguntar. Eu diria que sim e por duas razões: a primeira é que os filtros de densidade neutra te dão mais controle sobre a exposição e a segunda razão é que eles lhe darão controle criativo sobre a velocidade do obturador visto que ele bloqueia parcialmente a luz de forma que somente um pouco dela consegue passar pela lente e atingir o sensor da câmera.

filtros

Existem vários tipos de filtros de densidade neutra, cada um com uma especificação de passagem de luz. Os mais comuns são de 1 stop (0,3 ou ND2), 2 stops (0,6 ou ND4), 3 stops (0,9 ou ND8), 6 stops (1,8 ou ND64) e 10 stops (3,0 ou ND1024). Alguns fabricantes ainda fazem filtros de densidade neutra que bloqueiam 16 pontos de luz ou mais luz, mas nesses casos o uso é bem específico.

A foto abaixo mostra um filtro de densidade neutra de 10 stops. Como você pode ver o filtro está do lado negro da força e é tão escuro que você não consegue enxergar através dele.

DIFERENTES TIPOS DE FILTROS ND

Além da questão dos pontos de luz que cada filtro pode bloquear, ainda existem filtros que bloqueiam uniformemente a passagem da luz e outros que são graduados. Filtros de densidade neutra graduados bloqueiam a luz em apenas uma parte, ou seja, metade do filtro é clara e metade é escura, com uma área graduada no meio.

Esta foto mostra um filtro de densidade neutra graduado. A metade superior do filtro é escura (para bloquear a luz) e a parte inferior clara.

filtros

#1 – FILTROS DE DENSIDADE NEUTRA GRADUADA

Filtros de densidade neutra graduada (muitas vezes apenas chamados grads ou filtros GND) são usados ​​por fotógrafos paisagem para controlar a exposição assim como os filtros ND completos.

Imagine que você está fazendo uma foto da paisagem que inclui o céu ensolarado e um campo. Neste cenário, o céu é muito mais brilhante do que o primeiro plano. Se você fotometrar corretamente para o céu, o primeiro plano (o campo) fica escuro. Se fotometrar corretamente o primeiro plano, o céu irá estourar (ficará branco). Quem nunca passou por esse drama?

É aí que entra nosso super heroi. Um filtro de densidade neutra graduado bloqueia a luz do céu sem afetar o primeiro plano. Se o céu, no exemplo dado, é 3 pontos de luz mais claro que o campo, um filtro de 3 stops vai te ajudar a equilibrar a luminosidade da cena e permitir que a foto saia uniforme com todos os detalhes do céu (não vai ficar branco) e do campo (não vai ficar escuro).

Na foto abaixo eu configurei a câmera pela luminosidade do céu e o que aconteceu? A parte de baixo, o primeiro plano, ficou escura demais. Mesmo que use o Lightroom ou Photoshop para clarear a imagem, o resultado não vai ficar bom.

Depois eu ajustei a câmera pela luminosidade do primeiro plano (que estava 2 stops mais escura que o céu) e no que deu? O céu estourou. Perdi quase todos os detalhes do céus, nuvens e cor – mesmo a foto sendo P&B. E de novo: não adianta querer ajustar isso na pós edição que não rola.

Finalmente tomei jeito e usei um GND de 3 pontos. Percebam como a foto ficou mais uniforme. Consegui reter os detalhes do céu e do primeiro plano sem que um ou outro ficasse mais escuro ou claro. Parece até bruxaria, né? O pessoal do século XIX dizia a mesma coisa.

VANTAGENS DE FILTROS DE DENSIDADE NEUTRA GRADUADA

A vantagem de usar esse tipo de filtro é que ele permite continuar trabalhando independente da luz, com exposições mais longas sem precisar de tripé além de economizar tempo no pós-processamento, em comparação com o uso de técnicas como a mistura de exposição ou HDR no Lightroom.

Antes da era digital (e do processamento via software), os filtros de densidade neutra graduada eram a única maneira que os fotógrafos tinham de equilibrar a exposição entre o primeiro plano e o céu.

DESVANTAGENS DE FILTROS DE DENSIDADE NEUTRA GRADUADA

Como tudo na vida sempre há desvantagens. Antes que saia pensando que os GND’s são tudo de bom neste mundo saiba que os filtros de densidade neutra graduados têm alguns problemas.

O primeiro deles é que os GND’s não funcionam bem com paisagens recortadas por árvores, montanhas e etc. O ideal é usá-los em paisagens com a linha do horizonte limpa.

A foto abaixo é um bom exemplo. Se usasse um GND, a parte de cima do filtro, que é mais escura usada para controlar a luz que vem do céu, acabaria deixando as pontas das rochas escuras também. A única solução, neste caso, foi fazer duas exposições diferentes, uma para o primeiro plano, a outra para o céu, e misturá-las no pós-processamento.

Outro problema é que filtros graduados de boa qualidade são caros. Apesar disso, muitos fotógrafos de paisagem gostam de usá-los mesmo assim porque eles dão o poder de escolha ao fotógrafo. Com filtros graduados de densidade neutra você pode decidir qual técnica é mais adequada para a cena que você está fotografando.

#2 – FILTROS DE DENSIDADE NEUTRA

Fotógrafos de paisagem usam filtros de densidade neutra para controle criativo sobre a velocidade do obturador.

Pense nas configurações de exposição que os fotógrafos de paisagem costumam usar. Normalmente, ISO baixo (100) e abertura f/11 ou f/16. Isso lhe dá a máxima qualidade de imagem (por causa do baixo ISO) e boa profundidade de campo (abertura pequena).

A velocidade do obturador necessária para obter a exposição correta dependerá das condições de luz do ambiente. Com bastante luz, talvez 1/125s; com pouca luz – fim do dia – talvez 1/2s.

Entretanto e se você quiser uma velocidade de obturador mais longa? É aí que os filtros de densidade neutra entram. Eles bloqueiam a luz de modo que você pode obter velocidades de obturador mais demoradas. Exposições desse tipo permitem que partes móveis da paisagem (como nuvens ou água) fiquem desfocadas, o que, por sua vez, cria humor e atmosfera.

Um exemplo disso é a fotografia de longa exposição, onde são usadas exposições de vários minutos para desfocar o movimento do mar e das nuvens. A foto abaixo foi feita em ISO 200, em f/11 e 1/125s.

Entretanto, com um filtro de densidade neutra eu consegui baixar a velocidade para 210 segundos e criar um “efeito” completamente diferente.

FILTROS DE DENSIDADE NEUTRA QUE USO

Um dos problemas com filtros de densidade neutra é que há tantos para escolher. Você saberia qual comprar? Basicamente você precisa decidir o quanto você quer gastar para depois olhar as opções. Vou dar algumas sugestões de marcas para te ajudar na escolha:

DICA: Tamanho do filtro: Quanto maior a sua lente for, maior o filtro necessário para cobrir o elemento frontal dela e mais caro ele será, por isso leve em conta o tamanho da sua lente para definir o tamanho do seu filtro.

Meu Kit de Filtro de Densidade Neutra

Meu kit de filtro de densidade neutra é o Formatt Hitech 72mm Firecrest Joel Tjintjelaar Signature Edition Long Exposure Kit #1. Ele contém três filtros de densidade neutra 3, 6 e 10 pontos de luz, respectivamente. Você também pode combinar dois filtros e obter bloqueios de 9, 13 ou 16 pontos de luz. Eu comprei os filtros circulares porque eles são mais baratos do que os quadrados.

DICA: se você planeja usar seus filtros em várias lentes, compre o tamanho que você precisa considerando o maior tamanho e anéis de redução para adaptar os filtros para caber nas lentes menores ou compre um filtro quadrado que irá servir em todas as lentes)

Meu Kit de Filtro de Densidade Neutra Graduado

Meu kit de filtro de densidade neutra graduado é o sistema Lee Seven5 system, que inclui o suporte do filtro, um anel adaptador e quatro filtros de densidade neutra graduada. Ele é menor, mais barato e foi projetado para sistemas de câmera mirrorless. Esses filtros me ajudam a fazer fotos como esta abaixo:

– Filtros de densidade neutra (ND) ajudam a controlar a exposição e permitem controle criativo sobre a velocidade do obturador.

– Filtros de densidade neutra graduada (GND) permitem fotografar imagens com diferenças de luz sem que detalhes sejam perdidos, embora o uso ideal seja para linhas de horizontes limpos.

– Fique atento ao tamanho do seu filtro.

– Outra fabricante interessante de filtros é a Hoya. Filtros baratos e bons.

TIRAR DÚVIDAS PELO WHATSAPP

Já pensou em receber ajuda personalizada e tirar todas as suas dúvidas diretamente pelo Whatsapp? É exatamente isso que o Verena está oferecendo para você! Basta se tornar membro do Verena e ter minha monitoria por mais de 40 horas por semana tirando qualquer tipo de dúvida a qualquer momento* por meio de mensagens, áudio, vídeos e imagens.

Vou te ajudar a melhorar sua fotografia como nenhum curso conseguirá e dar todo suporte que precisa. Quer apostar?

SABER MAIS
COMO UM FILTRO POLARIZADOR FUNCIONA

A era digital trouxe suas vantagens como a democrataização da fotografia, porém, ao mesmo tempo, matou algumas características bacanas da fotografia com filme. Efeitos criados pelos filtros são quase todos possíveis de serem reproduzidos com o Photoshop e outros programas de edição, contudo existem 2 tipos de filtro que não tem magia negra que consiga replicar: o filtro ND (densidade neutra) e o filtro polarizador – aquele que barra a luz que vem de locais indesejados.

Como vimos, o grande uso para este tipo de filtro é evitar reflexos e brilhos que atingem a lente da câmera sem que a gente deseje como o reflexo no vidro de uma vitrine ou na água do rio, aumentando o contraste da cena e saturação das cores (ideal para fotografia de paisagem e que quer as melhores lentes para viagem). O lado negativo dele é a perda de 1 ou 2 pontos de luz deixando a imagem um pouco mais escura.

Um youtuber (sempre eles) resolveu testar os efeitos desse filtro em diversas situações e é muito interessante para quem ainda não viu como esse filtro trabalha. Se eu fosse você, pulava para os 35 segundos que é quando a coisa começa… youtubers tem o costume de falar bastante.

Devo usar filtros em minha câmera?

A resposta é um retumbante SIM.

Em tempos de Instagram e filtros vintage, em dias de photoshop como solução divina para fotógrafos preguiçosos, usar filtros pode ser de grande aprendizado e contribuir para para seu conhecido de como a luz funciona.

Filtros fotográficos são usados ​​para obter efeitos, podem mudar o tom e humor de suas fotografias. É claro que você pode conseguir muitos dos mesmos efeitos usando o Photoshop, mas quando você usa um filtro você pode ver imediatamente a diferença ou o efeito criado na hora, na tela da sua câmera

Tal como acontece com todos os novos acessórios fotográficos que compramos é necessário muita prática e experimentação para aplicar corretamente as propriedades que os filtros podem oferecer. Espero que tenham gostado e aprendido um pouco mais sobre os vários tipos de filtros que existem. Você tem ou usa algum filtro? Conta aí nos comentários!

  • Bernardo

    Olá Jonatas, gosto bastante de ler seus artigos e assistir a seus vídeos. Obrigado por compartilhar seus conhecimentos. Em relação ao uso do filtro UV, eu o tenho mantido na lente mais para protegê-la de poeira e arranhões e menos por causa de uma possível ação danosa de raios UV. Vc vê algum inconveniente? Abraços, Bernardo

    • Olá, Bernardo.

      Que bom saber que tem gostado dos vídeos e matérias do site. A ideia é ajudar quem mais precisa porque eu não tive isso quando comecei na fotografia.

      A briga de quem defende o uso e o não uso dos filtros UV é antiga e, eu acho, vai durar por muito tempo.

      Como eu disse no texto: “Toda vez que saio de casa tomo um banho de raios UV e sou saudável. Acho que minha câmera ficará bem sem um filtro UV também.” Se você usa, creio que não está perdendo em nada e no caso de uma eventual queda na areia pode ser salvo pelo filtro.

    • Rudolf Waller

      Bernardo, também uso este filtro com esta finalidade.

      • A maioria das pessoas usa mais para proteção física do que pela proteção dos raios UV

  • Jackson Lima

    Olá Amigo, seu site é uma excelente opção para quem quer aprender a tirar fotos melhores e não pode pagar um curso de fotografia, parabéns! Gostaria, se possivel, que vc tirasse uma pequena dúvida quanto ao uso do filtro ND, para uso do ND a fotometria deve ser feita antes de colocar o filtro, então após fotometrar coloca o filtro e fotografar, ou deve-se fotometrar já com o filtro na lente?

    • Olá, Jackson.

      Obrigado pelos elogios.

      Deve-se fotometrar usando o filtro já instalado na lente. Se você fotometrar antes e depois colocar o filtro os níveis de luz irão mudar e sua fotometria não estará condizente com as novas condições de luz gerando uma foto diferente do imaginado

      • Jackson Lima

        Obrigado pela atenção

  • Olá, Silvio.

    Obrigado pelos elogios.

    Realmente a Hoya já é conhecida no mercado, mas particularmente nunca ouvi falar dessa Fotga. Ela pode ser uma marca nova e todos os dias surgem marcas novas, algumas boas e outras ruins.

    Você precisa ver o diâmetro da sua lente/adaptador para comprar o filtro do tamanho certo. Nas especificações técnicas não diz nada do diâmetro?

  • Oi, Amanda.

    Neste artigo http://www.verenafotografia.com/como-usar-filtros/ eu falo sobre as marcas de filtros que uso, mas as marcas mais reconhecidas do mercado são boas opções. Uma alternativa barata e de qualidade são os filtro da Hoya – eu recomendo.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.