WeClickYou: a Uber dos fotógrafos no Brasil

Todo fotógrafo sabe da dificuldade em encontrar clientes para um job e ganhar uma graninha com a fotografia. Por outro lado, turistas vivem tirando selfies terríveis em lugares lindos, onde muitas vezes não voltarão na vida.

Pensando nisso, um empreendedor do Rio de Janeiro lançou uma plataforma que tem o objetivo de unir os dois lados, como uma Uber da fotografia, oferecendo o perfil de fotógrafos a turistas dispostos a pagar um preço justo por fotos incríveis.

O site foi lançado há pouco mais de um mês e já vem agradando a vários fotógrafos, profissionais ou não, em várias cidades do Brasil e do mundo, como Roma, Londres, Nova York e Sydney. Como ainda está em fase de construção da base de fotógrafos, o cadastro é totalmente gratuito e a busca por parte do cliente também.

Qualquer pessoa que tenha o mínimo de experiência com uma câmera pode se cadastrar, entretanto existe um processo criterioso de aprovação dos perfis para garantir a qualidade dos serviços. O cadastro é simples e sem burocracia, pensado exclusivamente em gerar total praticidade para o cliente, que pode entrar em contato diretamente com o fotógrafo de várias formas, sem nenhuma intervenção da plataforma.

O próprio fotógrafo define o valor que vai ser cobrado, mas a base é sempre por hora trabalhada e com o compromisso de entrega do mínimo de 20 fotos editadas. O envio das fotos deve ser feito por e-mail através de um link de uma plataforma de compartilhamento de arquivos online, que permite que o cliente baixe as fotos do lugar e hora que preferir.

As inúmeras vantagens que estes novos modelos de negócio de economia aberta têm demonstrado são impressionantes. O número de pessoas que estão fazendo atividades extras para complementar sua renda, ou simplesmente para ter um hobby que gere um resultado paralelo já mostra um sucesso espantoso, como plataformas de venda de viagem, transporte, alimentação, aulas e agora essa alternativa para quem carrega a câmera para todo lado.

“As próximas fases deste projeto incluem a tradução do site para outros idiomas, a fim de atingir também turistas estrangeiros no Brasil, bem como a integração com uma plataforma de pagamento online, garantindo a segurança para ambos os lados”, conta João Filipe, o idealizador do projeto, que complementa:

“O plano de marketing inclui parcerias com hotéis, blogs e agências de viagens para divulgação entre os viajantes. Mas para isso, precisamos de uma base significativa de fotógrafos cadastrados”.

Se você ainda não conhece o site e tem interesse em fazer parte dessa nova comunidade promissora, o endereço é www.weclickyou.com. Acesse e nos conte o que achou.

Como postar fotos no Instagram pelo PC

Novidades! Agora você pode fazer upload de fotos para o Instagram a partir de um navegador de desktop… usando um truque especial e não oficial. Veja o passo a passo nesse tutorial.

Desde que o Instagram foi lançado, ele só permite que seus usuários postem usando o aplicativo oficial para smartphones. Existem algumas opções para publicar imagens utilizando aplicações de terceiros, mas nenhuma é suportada oficialmente.

Porém, agora existe uma maneira simples de contornar essa restrição: usando um método chamado User Agent Spoofing. O Agente de Usuário é uma seqüência de texto enviada juntamente com todas as solicitações feitas por um navegador da Web e inclui detalhes sobre a versão do navegador e o sistema operacional.

O que o Agente de Usuário faz é dizer ao Instagram que você está postando uma foto através de um smartphone quando na verdade você está usando seu computador.

Lembre-se de que eu não me responsabilizo se por algum motivo bem louco você for banido hein. É por sua conta (literalmente) e risco.

Primeiro, verifique se o recurso está habilitado para você.

Esse recurso parece estar sendo lançado apenas para contas selecionadas por hora, por isso você deve primeiro verificar se ele funciona em um dispositivo móvel real. Basta abrir o Instagram no navegador do seu celular e fazer login. Você deve ver a barra de ferramentas usual, mas agora com o ícone da câmera no meio.

Se você ver o ícone da câmera, o recurso está habilitado para você! Se não, você pode terá que esperar. Não temos certeza ainda porque esse recurso ainda não está aparecendo para algumas contas.

Usando o Agente de Usuário no Safari para MacOS

Se você usa o Safari em um Mac, basta ativar o menu Desenvolvedor. Se já fez isso, pode avançar.

Primeiro, vá para Preferências clicando em Safari> Preferências … na barra de menus ou usando o atalho ⌘ ,.

Na caixa de diálogo, vá em Avançado e ative a opção Mostrar desenvolvedor na barra de menus.

Agora você verá uma nova opção ‘Desenvolvedor‘ em seu menu.

Agora, vá ao site instagram.com, acesse o menu Develop > User Agent> Safari – iOS 10 – iPad. Você também pode escolher iPhone ou iPod; não importa.

A página será recarregada e você verá o ícone da câmera na barra de ferramentas, assim como em seu dispositivo móvel. Clicar nele irá solicitar que você selecione uma imagem de seu computador e, em seguida, mostrará a visualização.

Você pode recortar para um quadrado ou girar a imagem, mas não adicionar filtros. Vá em frente e clique em Seguinte, coloque sua legenda e poste.

Usando o Agente de Usuário no Chrome

A maneira mais fácil de fazer isso no Chrome é usar uma extensão chamada User-Agent Switcher, que você pode encontrar na Chrome Web Store.

Uma vez instalada, você terá um novo ícone na sua barra de ferramentas. Clique nele, selecione iOS e iPad (ou iPhone). A página será recarregada e você verá o ícone da câmera na barra de ferramentas, assim como em seu dispositivo móvel. Clique nele para carregar uma imagem de seu computador.

Obs. Lembre-se de desligar a extensão se não todos os sites que visitar carregarão com o layout mobile.

Novas regras para drones

A Agência Nacional de Aviação (Anac) finalmente aprovou o regulamento para drones no país. Um regulamento que já sai com atraso, visto que por estimativas cerca de 100 mil drones operam no país. No regulamento, os drones são considerados aeronaves remotamente pilotadas (RPA) e as regras começam a valer agora.

Fotógrafos e Videomakers

Na questão da fotografia e vídeo, agora é proibido pilotar drones sobre pessoas – a não ser que esta pessoa tenha dado uma autorização para isso. Caso não exista autorização, é preciso que o drone esteja 30 metros horizontais longe da pessoa. O uso de drones em eventos públicos passa a ser proibido (por exemplo em shows, manifestações) – nestes casos só são liberados drones da segurança pública. Também só poderão pilotar drones pessoas com idade acima dos 18 anos.

E uma das mudanças mais importantes é a exigência de habilitação para os pilotos cujos equipamentos tenham mais de 25kg. E caso o voo ultrapasse 400 pés (cerca de 120 metros) de altura também será necessário ter a habilitação, mesmo que o drone pese menos que 25kg . Para comparação de peso, o equipamento de porte médio DJI Phanton 4 tem cerca de 1,5 kg.

As regras são estabelecidas através do Regulamento Brasileiro de Aviação Civil Especial nº 94/2017 (RBAC-E nº 94/2017). O regulamento é complementar às normas de operação de drones estabelecidas pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e pela Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL).

Três categorias

Agora os drones são divididos em 3 categorias: inferior a 250g, entre 250g e 25kg e acima de 25kg. Os veículos até 250g não precisam de registro; entre 250g e 25kg é preciso fazer um cadastro no site da Anac (desde que voem abaixo de 120 metros). Para drones acima de 25kg e voos acima de 120 metros será necessário o registro com a Anac no Sistema Aeronáutico Brasileiro e habilitação para pilotar – neste caso, é preciso entrar em contato direto com a Anac. Só pode ser pilotado 1 drone por piloto e todos os cadastros devem ser atualizados a cada 2 anos.

Quais as consequências de quebrar estas regras?

A utilização de drones fora da regulamentação implicará em processo administrativo, civil e criminal. O piloto também pode ser preso caso seja considerado que está colocando em risco pessoas, aeronaves e embarcações. A fiscalização será feita através do programa de vigilância da Anac, também através de denuncias e pela própria polícia nas cidades. Leia o regulamento completo aqui.

Fonte: iPhoto Channel

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.